Teoria Política

Ementa:
Principais tendências e debates atuais da teoria política contemporânea: uma análise teórica. Pressupostos epistemológicos: idealismo e materialismo, cartesianismo francês e empirismo inglês. As sete escolas ou matrizes teóricas do pensamento sócio-cultural e político ocidental. As principais perspectivas teóricas: aspectos gerais das correntes: idealista, realista, liberal, marxista-globalista, pluralista, elitista, corporativista, behaviorista, positivista-sistêmico-funcionalista, neoliberal e Teoria Crítica de Frankfurt.. A tradição liberal e socialista e as suas teorias sobre o Mercado, o Estado, a Sociedade Civil e a democracia. A hegemonia neoliberal. Neoinstitucionalismo e neogerencialismo estatal. Teoria da escolha racional e new public management ( NPM). Estado e democracia diante dos desafios da transnacionalização.

OBJETIVOS EDUCACIONAIS:

- Apresentar ao aluno as categorias básicas da teoria política para prepará-lo para as disciplinas de Relações Internacionais, como os conceitos fundantes das teorias políticas como epistemologia, paradigma. Análise política, instrumentos de análise de políticas públicas, teoria e práxis, teorias do estado, sociedade civil e Mercado.
- Introduzir o aluno à consciência reflexiva sobre a importância da teoria do conhecimento e dos pressupostos epistemológicos das teorias políticas que sustentam a fundamentação histórico-cultural-filosófica das várias teorias de Relações internacionais.
- Fundamentar o futuro profissional de Relações Internacionais para a análise política e compreensão dos elementos constitutivos da trama sócio-política e das fundações do pensamento político moderno e contemporâneo e a questão da teoria do Estado.
- Introduzir os alunos ao debate contemporâneo da teoria política (principais tradições, correntes de pensamento, perspectivas de análise), tomando como problemática central a inter-relação entre as questões do Estado, da sociedade Civil, do Mercado e da democracia.
- Apresentar algumas obras fundadoras das principais correntes do pensamento político moderno, aquele que nasce como reflexão sobre a nova ordem política e social criada pelas revoluções burguesas e acompanha a ascensão da democracia à condição de principal forma de governo no Ocidente.
- Identificar conhecer e analisar as principais correntes e abordagens contemporâneas de reflexão e investigação sobre os fenômenos políticos, bem como seus componentes epistemológicos e metodológicos.

2.CONTEÚDO PROGRAMÁTICO:

Unidade O1: Introdução
1.1. Importância da Teoria Política.
1.2. Atualidade, debates e tendências modernas e pós-modernas.
1.3.O que é Teoria Política?
1.4.O que é análise política teórica?
1.5.Ciência Política, Filosofia Política e Teoria do Estado.
1.6.Os Conceitos fundantes: epistemologia, paradigma. instrumentos de análise de políticas públicas, relação dialética entre teoria e práxis, teorias do estado, sociedade civil e Mercado.
1.7.Mapas conceituais da história do pensamento ocidental.
1.8. Histórico do surgimento e evolução da nova área de saber acadêmico, denominado de Relações Internacionais:
1.8..1. Como surgiu?
1.8.2. Por que American Social Science and made USA?
1.8.3. Evolução histórico-teórico das várias correntes: idealismo, realismo, liberalismo clássico-democrático-keynesiano e neoliberalismo atual, pluralsimo, elitismo, corporativismo, globalismo, teoria positivista e neopositivista e sistêmico-funcionalista,

Unidade 02: As 07 escolas ou tradições academias do pensamento sócio-cultural-político ocidental: segundo Donald N.Levine. com addenda Prof.Aloísio Krohling
2.1. A escola ou tradição idealista greco-romano-cristã.
2.2. A escola ou tradição materialista-empirista inglesa.
2.3. A escola racionalista-iluminista francesa.
2.4. A escola ou tradição racionalista-voluntarista-subjetivista alemã.
2.5. A escola ou tradição cultural-artística-romântica italiana.
2.6. A escola ou tradição utilitarista-positivista-pragmatista britânica-americana.
2.7. A Escola ou tradição materialista-histórico-globalista marxista.
2.8. A escola Fenomenológica-Existencialista entre as Duas Guerras Mundiais.
2.9. A Escola da Teoria Crítica da Modernidade de Frankfurt.
2.10. As Escolas construtivista e desconstrutivista após a Segunda Guerra Mundial.
2.11. A Escola estruturalista

Unidade 03: Paradigmas grociano, hobbesiano e kantiano
3.1. Hugo Grócio: é citado como criador do Paradigma da Sociedade Internacional.
Defensor do Direito Marítimo e do Direito Internacional.
Thomas Hobbes e o Estado Leviathã: penetra muito na psicologia humana e afirma que o egoísmo é a força motriz do homem. Verdadeiro estado da natureza é a guerra de todo contra todos. Na concepção hobbesiana, os Estados vivem em estado de natureza, isto é, apesar de conviverem e de se relacionarem, entre si, todo o tempo, nem por isso formam uma sociedade de Estados
3.2. Kant e a Federação de Estados: Modelo idealista em busca da Paz

4. Unidade 04:Teoria liberal clássica, liberal-democrática, e neoliberal
4.1.O Estado liberal clássico e a sua evolução na Inglaterra, França e Alemanha
4.2.Estado liberal clássico e o Estado de Direito
4.3. Contexto histórico do Estrado Napoleônico e do Estado Prussiano
4.4. Teorias políticas de Estado de direito na França, Alemanha e Inglaterra.
4. 5. O Estado de Direito Democrático e o Estado Social.
4.6. O Estado Neoliberal Mínimo

5. Unidade 05: Marxismos e socialismos
5.1 .O Marxismo ortodoxo e heterodoxo
5.2. Os marxistas positivistas russos
5.3.Os marxistas critico-reprodutvistas
5.4. Os socialdemocratas
5.5 Poulatnzas, Lukács, Bloch
5.6. Neomarxismo e Gramsci
5.7. Os perfis diversos do Modelo do Estado Social

6. Unidade 06: Estado, sociedade e mercado, Público e Privado
6.1.Estadocentrismo e absolutismo
6.2.Mercadocentrismo e a tradição liberal
6.3.Ênfase na Sociedade Civil e a tradição socialista
6.4.Estado e Sociedade civil em Hegel e Marx e Gramsci
6.5.Analise da Problematica do Autoritarismo/Totalitarismo
6.6.A Teoria das esferas de Jannowski: esfera privada, estatal, pública e mercadológica.

7. Unidade 07: Estado e democracia diante dos desafios da transnacionalização.
7.1.Estado-Nação e soberania popular
7.2.Da democracia rousseauniana e o avanço da idéia da representação política hoje com a Internet e os meios de comunicação de masdsa.
7.3.Estado, capitalismo, democracia e a problemática da globalização. Governança global, dominação hegemônica e resistências sociais na ordem mundial pós-Guerra Fría.
7.4.Questões ético-sociais e éitico-filosóficas diante da globalização financeira, econômica, tecnológica e política.
7.5. O Ocidente versus Oriente e a mundialização das resistências

8. Unidade 08: A Escola de Frankfurt, Crítica da Modernidade e Pós-Modernidade:
8.1. O surgimento da sociologia do conhecimento e a fundação do Instituo de Pesquisas Sociais.
8.2. Três fases da Escola de Frankfurt:
1ª. Fase: da Fundação na Alemanha em 1923 até 1934;
2ª Fase: Transferência para os USA – Columbia University
3ª Fase: Retorno à Alemanha em 1950:
8.3. Representantes principais: Horkheimer, Adorno, Benjamin, Marcuse, E. Fromm, Ernest Bloch, Habermas.
8.4.Teoria Critica da sociedade industrial e do Estado-Força que instrumentaliza a Ciência para fins bélicos sob a maquiagem de ser o Estado-Cientista e seguir a Teoria da Pilotagem Sistêmica.
8.5. A violência simbólica em Pierre Bourdieu.
8.6. H.Marcuse e a crítica do Pensamento Único e da sociedade unidimensional.

3. Metodologia:
O Programa será ministrado como base no método operatório-dialógico no qual serão utilizados vários métodos didáticos, entre eles, seminários de alunos, aulas expositivas, exercícios em sala de aula, leitura de textos em grupos, apresentação de resenhas e resumos de textos.

O acompanhamento pedagógico será contínuo, priorizando os critérios de responsabilidade e busca de fundamentação científica,trabalhando as atitudes dos estudantes.

4. Recursos:
Paiped. Estudo Dirigido. Filmes com roteiro para análise. Dinâmica de grupos operatórios. Pesquisa bibliográfica. Seminários para apresentação de trabalhos grupais.Aulas em Powerpoint e apresentações dos alunos

5. Competências gerais a serem desenvolvidas nos alunos durante o semestre:
Pesquisar e extrair informação de diversas fontes escritas e aprender a citar corretamente segundo as normas da ABNT
Compreensão, interpretação e resumo de textos.
Compreensão interdisciplinar das disciplinas de RI
Contextualização histórica das Relações Internacionais e da realidade global.
Planejamento de metas e trabalhos individuais e por equipe
Relacionamento e sistematização de idéias
Senso crítico perante a realidade social com percepção dos seus pressupostos ideológicos e éticos
Aprimoramento da expressão oral pelas apresentações em sala de aula
Problematizar o seu subtema inserido no tema principal do grupo e relacioná-lo
Redação própria e elaboração pessoal nos trabalhos escritos

6. Avaliação:
Vamos agrupar e relacionar temáticas da Teoria Política Moderna e Contemporânea na pesquisa de temas e subtemas do trabalho de pesquisa grupal e os alunos deverão demonstrar na prática as várias competências citadas acima.

7. Critérios de avaliação:
De modo geral, as atividades individuais e grupais terão como base de avaliação os seguintes critérios: Leitura do material indicado.Abordagem crítica da bibliografia indicada e elaborada pelo aluno.Elaboração de reflexão pessoal e/ou de vivencia profissional sobre o tema proposto..

8 AVALIAÇÃO em termos numéricos:
PRIMEIRO e SEGUNDO BIMESTRES:
Trabalho escrito grupal e individual: 1 pto
Seminários –1 pto
Paiped com exercícios 100% : 1 pto
Prova escrita : 7.0 pontos

9.Bibliografia Básica:Apostilas do Professor
Giddens, Anthony , Para além da esquerda e da direita. O futuro político da política radical, UNESP, SP, 1995.
HAYECK, F.O caminho da servidão.1. ed. Porto Alegre: globo, 1946
HOBSBAWN, Eric. A era das revoluções. Rio:Paz e Terra,1998
HOBSBAWN, Eric. A era dos impérios.1875-1914. 1875-1914. Rio: Paz e Terra,1996
HOSBAWN, Eric. A História do Marxismo (12 volumes) Rio: Paz e Terra, 1990.
NAY, Olivier.História das Idéias Políticas.Petrópolis, Vozes, 2006.
PISIER, Evelyn. Histórias das Idéias Políticas. São Paulo: Manole, 2004
WIGGERSHAUS, Rolf. A Escola de Frankfurt. História, desenvolvimernto histórico, significação política. Rio:Ed. Difel, 2002.

TRES GRANDES MATRIZES TEÓRICAS E SUBMATRIZES DO PENSDAMENTO POLITICO
A.ESCOLAS OU MATRIZES EPISTEMOLÓGICAS CORRENTES SÓCIO-POLITICO-FILOSÓFICAS E SUB-CORRENTES:

Matriz antiga: Teoria idealista greco-hebraica-latina-medieval cristã com continuidade no raionalismo de René Descartes(Cartesianismo) e no Idealismo de Kant e no ideário do liberalismo clássico e outros tipos de liberalismo decorrentes no desenvolvimento do capitalismo econômico moderno, passando pelo liberal-internacionalismo do século XX.
Veja a sinopse da matriz epistemológica, das correntes idealistas:

Matriz antiga: Teoria idealista greco-hebraica-latina-medieval cristã

Matriz moderna: Teoria idealista-racionalista de René Descartes

Teoria liberal-idealista burguesa da Revolução inglesa de J.Locke

Modelo liberal-democrático da Rev.Francesa e de Montesquieu, Sieyès e Tocqueville.

Paradigma kantiano: Teoria idealista-subjetivista-voluntarista de Kant e seguidores.

Teoria liberal-iluminista positivista francesa e Inglesa do século XIX

Modelo norte-americano do liberalismo republicano funcionalista federativo

Modelo wilsoniano:Teoria liberal-internacionalista do século XX de Versailles

Modelo keynesiano do reformismo social e Estado-Gerente e Planejador

Modelo do Estado Mínimo do neoliberalismo contemporâneo

B.ESCOLAS OU MATRIZES EPISTEMOLÓGICAS CORRENTES SÓCIO-POLITICO-FILOSÓFICAS E SUB-CORRENTES: Aplicação nas Teorias de RI
A escola ou tradição materialista-empirista inglesa e escocesa:As Grande transformações ocorreram a partir do renascimento e do desenvolvimento da ciência moderna que levaram o homem a questionar.
Sinopse da matriz da escola realista-empirista antiga e moderna:

Matriz ou escola: realista grega de Aristóteles e Tucídides e do indiano Kautilya e do chinês Sun Tzu antes de Cristo.
Paradigma realista moderno com o empirismo com Maquiavel e Hobbes.
Teoria positivista utilitarista e evolucionista britânica
Teoria funcionalista utilitarista-pragmatista norte-americana nas Ciências Sociais.
Teoria realista no prussiano Carl von Clausewitz
Teoria funcional-sistêmica norte-americana.
Teoria behaviorista norte-americana
Teoria estrutural-funcionalisa norte-american na Antropologia
Teoria positivista-realista na jurisiprudência norte-americana
Teoria realista no século XX em Hans Morgenthau
Teoria neorealista de Kenneth Waltz
Teoria realista do equilíbrio do Poder: Bipolar X Multipolar

C. ESCOLAS OU MATRIZES EPISTEMOLÓGICAS CORRENTES SÓCIO-POLITICO-FILOSÓFICAS E SUB-CORRENTES: Aplicação nas Teorias de RI

Matriz materialista-dialética-histórica greca-germana hegeliana-marxista-neomarxista-globalista:
1. Matriz materialista grega de Heráclito do vir-a-ser e do múltiplo
2. Matriz dialética histórica hegeliana
3. Matriz dialética-histórica-materialista marxiana
4. Teoria social-democrata de Lassale, Bernstein e Kaustky
5. Teoria leninista-troskista vanguardista de Partido Político
6. Teoria neomarxista gramsciana e lukacsiana
7. Teoria do marxismo estruturalista de Althusser e Poulantzas
8. Teoria crítica-reprodutivista de Bowles, Baudelot e Establet,
9. Teoria da dependência econômica latino-americana
10. Teoria globalista de Wallerstein

Exercicio:´Questões do 1°.Capítulo do livro Teoria das Relações Internacionais de Eduardo Saldanha, Curitiba: Ed. Juruá, 2006.

Leitura obrigatória pág.17-36e da página.36 a 59

Para que se tenha uma visão de totalidade das teorias de Relações Internacionais, não será necessário, buscar as fontes epistemológicas ou as origens e as raízes teóricas que determinaram a formulação da teoria realista e idealista ou a classificação dos paradigmas grociano, hobbesiano e kantiano em Relações Internacionais?

1. Por que a formação de um analista de RI exige um estudo acurado da Teoria do Conhecimento e o debate da relação dialética entre Sujeito e Objeto, entre Subjetividade e Objetividade?

2. Interprete o seguinte texto de E.Saldanha, pág.21:
“ A Filosofia é, antes de qualquer coisa, auto-reflexão do espírito sobre o seu comportamento valorativo, teórico e prático. Assim é a filosofia argumentação e busca pela essência da própria existência, da verdade, do erro, do conhecimento, da ciência, do valor e da visão do0 mundo. Para isso, o entendimento do fundamento filosófico, tendo em vista objetivo da construção teórica das Relações Internacionais, mostra-se imperativo.”

3. Por que o empirismo baconiano e o racionalismo cartesiano são as duas grandes matrizes teóricas do pensamento moderno ocidental, um centrado na objetividade científica e no método experimental e o outro centrado na Subjetividade do Ego Cogitans de Descartes e no método matemático-lógico?

4. Por que o kantismo ou a Teoria crítica de Kant é a síntese entre o racionalismo francês e o empirismo inglês?

5. Por que o iluminismo é uma popularização ou vulgarização da matriz empirista ou método científico-natural e da matriz cartesiana racionalista ou méotdo lógico-matemático, levando a um entendimento mecanicista da realiade?

6. O que vem a ser o criticismo kantiano e como Kant chega à proposta idealista Paz Perpétua e da Liga das Nações?

7. Por que o positivismo francês, o utilitarismo inglês, o pragmatismo americano vão desembocar na teoria funcional-sistêmica de de N. Luhmann e David EAston e Karl Deutsch?

8. Por que Hegel e Karl Marx ,são filósofos, que apesar de herdeiros do pensamento empirista e racionalista, conseguem, o primeiro estabelecer uma teoria idealista dialética e o segundo uma teoria dialética materialista-histórica?

9. Comente a afirmação de Hilton Japiassu:
“ Em nossos dias, a única síntese possível é a que assume decididamente a forma de um confronto permanente”.

Exercício sobre as Teorias Políticas estudadas .
Parte I – Teoria Pluralista
Sobre esta teoria. Coloque V se a sentença for verdadeira e F se for Falsa. Questões rasuradas ou em branco serão desconsideradas.

A- ( ) Na teoria pluralista o poder político está fragmentado entre as partes do Governo e a multidão de grupos privados, mas não entre as instituições políticas.
B- ( ) Apesar da divisão do poder, o pluralismo não acredita que qualquer interesse pode afetar a escolha pública, pois devido à representatividade, apenas os interesses da classe dominante são levados em consideração.
C- ( ) Sem a participação ativa dos indivíduos não há possibilidade do pluralismo agir.
Parte II – Teoria Corporativista
Sobre esta teoria. Coloque V se a sentença for verdadeira e F se for Falsa. Questões rasuradas ou em branco serão desconsideradas.

A- ( ) A teoria Corporativista coloca o sindicato de trabalhadores acima dos sindicatos de patrões, uma vez que aqueles possuem maior número de associados.
B- ( ) É uma característica da teoria corporativista, o caráter voluntário da participação, sendo mais do que apenas característica, uma demonstração básica para a atuação da mesma.

Parte III – Teoria Globalista Marxista
Sobre esta teoria. Coloque V se a sentença for verdadeira e F se for Falsa. Questões rasuradas ou em branco serão desconsideradas.

A- ( ) Para Karl Marx, a sociedade deveria ser estudada em sua totalidade.
B- ( ) Para Marx o Estado Liberal é um “servidor” da maioria da população.
Parte IV – Teoria Elitista
Sobre esta teoria. Coloque V se a sentença for verdadeira e F se for Falsa. Questões rasuradas ou em branco serão desconsideradas.

A- ( ) Para Paretto o caráter de uma nação é o caráter de sua classe dominante.
B- ( ) Gaetano Mosca afirma que apenas o povo pode dirigir o processo político

Parte V – Teoria Sistêmico-Funcionalista
Sobre esta teoria. Coloque V se a sentença for verdadeira e F se for Falsa. Questões rasuradas ou em branco serão desconsideradas.
A- ( ) O sistema político é o conjunto de interações de qualquer sociedade pelo qual se decidem e executam alocações obrigatórias ou autorizadas.
B- ( Governar é como os grandes navegadores fizeram, não haviam instrumentos de navegação, por isso precisavam basear-se apenas em seus instintos. É por isso que nem todos são aptos à governar.

Seguir

Obtenha todo post novo entregue na sua caixa de entrada.

%d blogueiros gostam disto: